Jovem Professora de Tara - Vesta de Antares

VESTA DE ANTARES

 

 

... uma linda e jovem de 19 anos, estudante do Programa Educacional de Tara Dhatu Sul América, escreve como foi tocada pela Mandala de Tara...

 

" Dançar a Mandala foi a melhor coisa que eu já fiz em minha vida, pensar que ao mesmo tempo em que estou dançando (fazendo algo que amo) eu também estou dançando para a Deusa, quanto para os benefícios de todos os seres, pensar que eu estou dançando e ao mesmo tempo fazendo o bem.

 

Na noite em que eu vi pela primeira vez, a mandala toda dançada, eu fui para cama, mais não consegui dormir, e chorei, chorei um choro velho que a muito estava preso dentro de mim, foi uma libertação, mexeu de mais comigo, então eu percebi, que em todo este tempo, eu ainda não havia encontrado a minha dança.

Eu era um simples fantoche fazendo o que mandavam.

Meus valores caíram ao ver todas aquelas mulheres de todas as idades dançando, ver seus sorrisos seus movimentos em completa harmonia com elas mesmas.

 

Então eu pensei, que ali, jazia a verdadeira beleza, ali em minha frente tinham lindas deusas, com suas perfeições e suas imperfeições.

Não sei como descrever mais meus sentimentos, só sei que nunca me senti tão plena.

As danças no templo ao por do sol, era o momento que eu mais esperava durante o dia, quando entrávamos cantando eu sentia cada parte do meu corpo, cada célula minha vibrar, com cada mantra, com cada entoação.

 

Existe uma musica que eu gosto muito que se chama “Dona”, ela tem uma estrofe que diz assim:

 

{...} Não há pedras em teu caminho, não há ondas no teu mar,

Não há vento ou tempestade que te impeçam de voar,

Entre a cobra e o passarinho, entre a pomba e o gavião,

Ou teu ódio ou teu carinho, nos carregam pela mão,

É a moça da cantiga, a mulher da criação,

Umas vezes nossa amiga, outras nossa perdição,

O poder que nos levanta força que nos faz cair,

Qual de nós ainda não sabe que isso tudo te faz...

Dona...

 

É uma musica muito bonita.

Acho que mostra os muitos lados da mulher, da Deusa.

Nos dias em que passei com vocês no retiro eu vi as múltiplas emanações do divino em cada uma daquelas mulheres, foi lindo.

 

Quando dancei para todas em uma das noites junto de Nina representando Tara, eu posso disser com convicção que pela primeira vez eu estava dançando.

Sem medo, sem vergonha, e com muito, muito amor, eu sentia minha alma crescer dentro de meu corpo...

E é assim que quero dançar por toda a eternidade...

Muito Obrigada a todas que me deram a oportunidade de vivenciar o que vivenciei em Tara Dhatu Sul America.

 

Vesta de Antares"

 

Vesta de Antares e Prema Dasara