Tarayana - Depoimento de Luciana Raquel Picoli

Luciana Picoli é Professora e estudante do Programa Educacional de Tara Dhatu Sul América,  facilitadora nível 1.

Ela escreveu…

 

A primeira vez que ouvi falar da Mandala de Tara foi em 2002 quando estava grávida da minha primeira filha Anita, minha professoar de Yoga Cintia Miró, havia dançado algumas vezes com Marge Oppiglier e sempre comentava em suas aulas sobre o aprendizado que a Mandala trazia a ela. A partir desses relatos minha curiosidade foi crescendo, mas como estava grávida e nessa  fase a minha atenção estava totalmente voltada para o Ser  que iria chegar acabei deixando a curiosidade de lado. Em 2007 me mudei para Santa Cruz do sul num processo muito difícil, pois havia deixado Porto alegre e toda uma vida de relações, amizades, trabalho... justamente nesse ano difícil,  vi uma chamada que haveria no Centro Budista Caminho do Meio em Viamão,  um Seminário sobre Ecologia e budismo onde seria feito uma oferenda da Mandala de Tara aos lamas presentes e a comunidade. Anita nessa época já estava com 4 anos então senti que era o momento de conhecer Marge e me aproximar da Mandala. Precisei sair de Porto Alegre (zona de conforto), pois a prática estava lá em Porto Alegre para poder me aproximar do ensinamento, coisas da vida...

Então, nesse encontro de Ecologia e Budismo  tive o meu primeiro contato com a prática,  foi incrível jamais vou me esquecer como foi linda essa experiência. Foi apenas um ensaio, mas eu senti que ESTAVA NO MEU LUGAR e que aquilo tudo já fazia parte da minha vida há muitas vidas.

Infelizmente naquele dia não pude participar da Oferenda,  mas sabia que aquele movimento tinha provocado em mim um turbilhão de emoções que só o tempo me faria entender.

 

Na mesma semana inquieta com o tanto de sentimentos e emoções que a Mandala havia provocado em mim, resolvi contatar Marge e propor a ela que viesse a Santa Cruz, pois tinha uma certeza interna que  outras mulheres deveriam vivenciar aquilo que eu havia experenciado. Para minha surpresa Marge prontamente aceitou o convite de conduzir uma vivência  aqui em Santa Cruz, para a divulgação coloquei  apenas dois cartazes um na livraria principal da cidade e o outro na loja da minha sogra. No dia e hora marcados  apareceram 30 mulheres, a maioria delas eu não conhecia, vi naquele dia o quanto poderosa  e luminosa era essa prática, pois todas aquelas mulheres responderam ao chamado de Tara. Foi linda a experiência e a minha admiração por todo movimento foi crescendo. Depois disso, participei de várias vivências com Prema e outras professoras, só em 2014 senti que precisava começar a internalizar realmente a prática e passar um pouco do ensinamento adquirido ao longo desses 7 anos.

 

 

Em novembro de 2014 chamei  o primeiro encontro da Mandala, foi no pátio da  minha casa, novamente uma surpresa, 10 mulheres apareceram, algumas nunca tinham ouvido falar outras haviam dançado com Marge em 2007, foi muito especial pra mim pois conduzir a prática é  bem diferente de ser conduzida, o grau de atenção e responsabilidade são redobrados.  O nosso encontro foi muito harmonioso e amoroso, Tara com certeza nos acompanhou durante todo o tempo..

Dia  18 de abril  nos reunimos mais uma vez para dançar as Qualidades de  Tara, foi uma preparação para encontrarmos Prema no dia 24, foi um  momento de muita troca, emoção e cura. Sinto que o grupo está se fortalecendo através dos encontros e espero que possamos continuar nessa busca pela sabedoria interior.

Por hora é isso, deixo  um abraço carinhoso a minha mentora Myri que tem me apoiado nessa caminhada, com seu suporte e grande incentivo  e uma reverência a Prema pela disponibilidade e oferta de todo ensinamento. Para todas as Taras que tenho encontrado no meu caminho deixo um beijo no coração.

Que as bênçãos de Tara caiam sobre todas nós.

OM TARE!!!!!

 

Luciana Raquel Picoli